Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940
Email: siteluzdoislam@gmail.com

Hierarquia dos Artigos
Início dos Artigos » Convertidos ao Islam » Malcolm X, EUA
Tamanho da Fonte
Malcolm X, EUA

“Nunca testemunhei tamanha hospitalidade sincera e o espírito dominante de fraternidade verdadeira como praticados por pessoas de todas as cores e raças aqui nessa antiga Terra Sagrada, a Casa de Abraão, Muhammad e todos os outros Profetas das Escrituras Sagradas. Na última semana fiquei completamente sem palavras e fascinado pela bondade que vi ser exibida à minha volta por pessoas de todas as cores...

“Você pode estar chocado com essas palavras vindo de mim. Mas nessa peregrinação o que tenho visto, e experimentado, forçou-me a reorganizar muito dos padrões de pensamento mantidos anteriormente, e a deixar de lado algumas das minhas conclusões prévias. Não foi muito difícil para mim. Apesar de minhas firmes convicções, sempre fui um homem que tenta enfrentar os fatos, e aceitar a realidade da vida na medida em que é revelada por experiência e conhecimento novos. Sempre mantive a mente aberta, o que é necessário para a flexibilidade que deve andar de mãos dadas com toda forma inteligente de busca pela verdade.

“Durante os últimos onze dias aqui no mundo muçulmano, comi no mesmo prato, bebi do mesmo copo, e dormi na mesma cama (ou no mesmo tapete) – enquanto orava para o mesmo Deus - com companheiros muçulmanos, cujos olhos eram os mais azuis dos azuis, cujos cabelos eram os mais loiros dos loiros, cuja pele era a mais branca das brancas. E nas palavras, ações e atos dos muçulmanos “brancos”, senti a mesma sinceridade que senti entre os muçulmanos africanos negros da Nigéria, Sudão e Gana.

“Éramos todos verdadeiramente os mesmos (irmãos) – porque sua crença em um Deus tinha removido o “branco” de suas mentes, o ‘branco’ de seu comportamento e o ‘branco’ de suas atitudes.

“Pude ver disso que, talvez se os americanos brancos pudessem aceitar a Unicidade de Deus, então, talvez, também pudessem aceitar na realidade a Unicidade do Homem – e parar de avaliar, obstruir e prejudicar outros em termos de suas \\\"diferenças\\\" na cor.

“Com o racismo infestando a América como um câncer incurável, o suposto coração americano branco “cristão” devia ser mais receptivo a uma solução comprovada para esse problema destrutivo. Talvez esteja em tempo de salvar a América de um desastre iminente – a mesma destruição que ocorreu à Alemanha pelo racismo que eventualmente destruiu os próprios alemães.

“Perguntaram-me o que mais me impressionou sobre o Hajj. . . Eu disse, “A fraternidade! Os povos de todas as raças, cores, de todo o mundo se reunindo como um só! Isso me provou o poder do Deus Único. . . . Todos comem como um e dormem como um. Tudo na atmosfera da peregrinação acentua a Unicidade do Homem sob Um Único Deus.”

Malcom retornou da peregrinação como El-Hajj Malik al-Shabazz. Estava incendiado com novo discernimento espiritual. Para ele, a batalha tinha evoluído da luta de um nacionalista pelos direitos civis para a luta pelos direitos humanos de um internacionalista e humanitário.

Depois da Peregrinação

Repórteres e outros brancos estavam ansiosos para aprender sobre as recém-formadas opiniões de El-Hajj Malik sobre eles. Mal podiam acreditar que o homem que tinha pregado contra eles por tantos anos podia repentinamente ter se modificado e chamá-los de irmãos. Para essas pessoas El-Hajj Malik tinha isso a dizer:
Navegação de Artigos:
<< Artigo Anterior || Próximo Artigo >>

Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML

Centro Islâmico de Taubaté © 2009-2019, todos os direitos reservados.
Rua Benedito Silveira Moraes, 221, Bairro Jardim do Sol - Taubaté - SP. CEP: 12070-290. Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940.
E-mail:
siteluzdoislam@gmail.com

3,274,267 visitas únicas

site desenvolvido por www.wsdbrasil.com.br

Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2019 by Nick Jones. Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3