Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940
Email: siteluzdoislam@gmail.com

Hierarquia dos Artigos
Início dos Artigos » Artigos sobre o Islam » O Islam e a Descrença
Tamanho da Fonte
O Islam e a Descrença
ENTRE O ISLAM E A DESCRENÇA

Muçulmanos ou Descrentes?

Irmãos muçulmanos! Todo muçulmano crê, como certamente vocês também, que os muçulmanos são diferentes dos des-crentes; que Deus se apraz com os muçulmanos mas não com os descrentes; que os muçulmanos obterão o perdão de Deus mas não os descrentes; que os muçulmanos irão para o Céu e os des-crentes para o Inferno. Eu quero que vocês ponderem sobre o porque de existir tanta diferença entre muçulmanos e descrentes.

Os descrentes são tão filhos de Adão e Eva quanto vocês. Eles são seres humanos como vocês próprios. Eles têm mãos, pés, olhos e ouvidos. Eles respiram o mesmo ar que vocês, bebem a mesma água e moram nas mesmas terras. O Deus que criou vocês também os criou. Então porque eles devem ser consi-derados inferiores e vocês superiores? Porque é que vocês deverão ir para o Céu e porque é que eles deverão ser atirados no Inferno?

Pensem cuidadosamente. Uma diferença tão vital entre um homem e outro não pode ser devida simplesmente ao fato de que vocês se chamarem Abdullah ou Abdur Rahman e eles tem nomes como Pedro, Paulo, Silva ou Roberto, ou porque vocês foram circuncidados e eles não, ou porque eles comem carne de porco e vocês não. Deus, que criou todos os seres humanos, e que é o Provedor de todos, não pode ser tão injusto a ponto de decidir por razões tão mesquinhas, quais das Suas criaturas enviará para o Céu e quais para o Inferno.

Onde, então, está a verdadeira diferença entre muçulmanos e descrentes? A resposta está que ela reside, simplesmente, na própria natureza do Islam e da descrença. O significado do Islam é submissão a Deus, enquanto que o significado da descrença é a negação e desobediência a Deus. Mas porque nós nos tornamos exaltados e pretensiosos em razão de reconhecermos nosso Se-nhor, obedecermos às Suas ordens e, temermos as consequências de desobedcê-Lo; e como o outro se desonra por não reconhecer seu Senhor e não obedecer às Suas ordens, é por isso que Deus se apraz com os muçulmanos e não aprecia os descrentes. É por isso que Ele promete aos verdadeiros muçulmanos que eles serão recompensados no Céu e adverte os descrentes de que eles serão lançados ao Inferno.

Conhecimento e Ação

As duas coisas que separam muçulmanos e descrentes são, portanto, o conhecimento e as acções. Isto é, vocês precisam primeiro saber quem é o Senhor, quais são as Suas ordens, como cumprir Sua vontade, quais os actos que O agradam e quais O desagradam. Quando estas coisas forem conhecidas, o segundo passo é o de tornarem-se verdadeiros servos do Senhor, renunciando aos desejos próprios em favor da vontade d'Ele.

Se o coração deseja praticar um determinado ato e a ordem do Senhor é contra tal ato, vocês devem cumprir a ordem. Se algo lhes parece bom, mas o Senhor diz que é ruim, devem concordar que é ruim. E se algo lhes parece ruim mas o Senhor diz que é bom, então devem aceitar isso como bom. Se pensam que determinado ato lhes será ruim, mas o Senhor diz que deve ser feito, então ele deverá ser realizado, mesmo que isto faça com que percam a vida ou os bens. Do mesmo modo, se esperam vantagens de um determinado ato, mas o Senhor o proíbe, devem evitá-lo mesmo que este ato pudesse lhes conferir todos os tesouros do mundo.

É este o conhecimento e acção através dos quais os muçul-manos se tornam verdadeiros servos de Deus, aos quais Ele confere Sua mercê e aos quais Ele recompensa com honra e dignidade. Já os descrentes, ao contrário, por não possuírem esses conhecimentos, são servos desobedientes de Deus e a eles são negadas as Suas bênção.

E agora, com toda a franqueza, digam-me: Se se dizem muçulmanos mas na verdade ignoram e desobedecem como os descrentes, podem vocês realmente serem superiores àqueles apenas porque tem nomes diferentes, usam roupas diferentes e comem alimentos diferentes? Podem vocês nessas condições almejar as bênção de Deus neste mundo e no Outro? O Islam não é uma raça nem uma família de que se faça parte por hereditariedade, de pai para filho. O filho de um sacerdote de alta casta não merecerá respeito perante Deus se praticar acções erradas apenas porque nasceu no domicílio sacerdotal; nem Deus menosprezará o filho de uma família pobre, desprezando suas boas acções, apenas em razão do seu nascimento humilde .

A respeito disso Deus afirmou explicitamente no Seu Livro: "… O mais honrado dentre vós perante Deus é o mais temente" (4ª:13). Ou seja, quanto mais vocês conhecerem Deus e quanto mais obedecerem aos Seus mandamentos, tanto mais dignos serão diante d'Ele. Abraão nasceu no lar de um idólatra, mas veio a conhecer Deus e O obedeceu . Foi por isso que Deus o fez Imam (líder) de todo o mundo. O filho de Noé nasceu na Casa de um profeta mas não compreendia Deus e O desobedecia. Apesar de sua relação familiar elevada, Deus o castigou de tal modo que sua posição se tornou um exemplo objectivo para todo mundo.

Entendam, pois, completamente que, quaisquer que sejam as
Navegação de Artigos:
<< Artigo Anterior || Próximo Artigo >>

Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML

Centro Islâmico de Taubaté © 2009-2017, todos os direitos reservados.
Rua Benedito Silveira Moraes, 221, Bairro Jardim do Sol - Taubaté - SP. CEP: 12070-290. Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940.
E-mail:
siteluzdoislam@gmail.com

2,427,586 visitas únicas

site desenvolvido por www.wsdbrasil.com.br

Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2017 by Nick Jones. Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3