Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940
Email: siteluzdoislam@gmail.com

Hierarquia dos Artigos
Início dos Artigos » Profeta Muhammad SAAW » Profecias do Alcorão Endereçadas a Muhammad
Tamanho da Fonte
Profecias do Alcorão Endereçadas a Muhammad
Descrição: Existem várias profecias mencionadas no Alcorão que são especificamente endereçadas ao Profeta Muhammad.  O cumprimento dessas profecias foi bem documentado nos livros de seerah, ou a biografia do Profeta como registrada por seus discípulos.
Por IslamReligion.com
Publicado em 04 Jan 2009 - Última modificação em 07 Jan 2009

Visualizado: 2551 (média diária: 3) - Classificação: 5 de 5 - Classificado por: 1
Impresso: 177 - Enviado por email: 0 - Comentado em: 0

Categoria: Artigos > O Profeta Muhammad > Evidência de Sua Missão Profética
Categoria: Artigos > Evidência de que o Islã é a Verdade > Evidência da Missão Profética de Muhammad

Entrando na Grande Mesquita de Meca (al-Masjid al-Haram)

No sexto ano após o Profeta ser forçado a migrar de Meca para Medina, ele se viu visitando Meca e realizando a peregrinação em uma visão mencionada no Alcorão:

“Em verdade, Deus confirmou a visão do Seu Mensageiro:   Se Deus quisesse, entraríeis tranqüilos, sem temor, na Sagrada Mesquita; uns com os cabelos raspados, outros com os cabelos cortados[1], sem medo.   Ele sabe o que vós ignorais, e vos concedeu, não obstante isso, um triunfo imediato.” (Alcorão 48:27)

Deus fez três promessas:

(a)   Muhammad entraria na Grande Mesquita de Meca.

(b)  Muhammad entraria em segurança.

(c)   Muhammad e seus companheiros realizariam a peregrinação e cumpririam seus rituais.

Ignorando a hostilidade dos habitantes de Meca, o Profeta Muhammad reuniu seus companheiros e embarcou em uma jornada pacífica para Meca.  Mas os habitantes de Meca continuavam a ser hostis e ele foi forçado a retornar para Medina.  A visão permaneceu sem ser cumprida; entretanto, um tratado importante foi assinado entre o Profeta e os habitantes de Meca, que provou ser de grande significado.  Foi devido a esse tratado que Muhammad realizou uma peregrinação pacífica com seus companheiros no ano seguinte.  A visão tinha sido cumprida.[2]

A Profecia Corânica: ‘Os Descrentes Perderão’

Os muçulmanos estavam sujeitos à perseguição severa em Meca nas mãos dos pagãos.  Em uma determinada época eles foram boicotados por três anos e a falta perpétua de alimentos às vezes beirava a inanição.[3] Qualquer conversa sobre vitória era inimaginável.  Apesar de todas as dificuldades, Deus profetizou em Meca:

“Logo, a multidão será debelada e debandará.” (Alcorão 54:45)

O verbo árabe yuhzamu é precedido por sa (um prefixo árabe que denota o tempo futuro), tornando-a uma profecia que seria cumprida no futuro.  E assim, no mês sagrado de Ramadã, dois anos após a migração do Profeta de Meca para Medina, os habitantes de Meca foram derrotados na Batalha de Badr e forçados a se retirar.[4] Umar, o segundo califa dos muçulmanos após o Profeta, costumava dizer que eles não sabiam como a profecia corânica seria cumprida até que eles próprios testemunharam o seu cumprimento na famosa batalha de Badr! (Saheeh Al-Bukhari)

A Profecia Corânica: ‘Os Crentes Terão Autoridade Política’

Apesar da severa opressão nas mãos dos habitantes de Meca, os muçulmanos receberam boas novas de Deus:

“Deus prometeu, àqueles dentre vós que crêem e praticam o bem, fazê-los herdeiros da terra, como fez com os seus antepassados; consolidar-lhes a religião que escolheu para eles, e trocar a sua apreensão por tranqüilidade - Que Me adorem e não Me associem a ninguém!  Mas aqueles que, depois disto, renegarem, serão desobedientes.” (Alcorão 24:55)

Como essa promessa do Todo-Poderoso aos muçulmanos oprimidos e brutalizados seria cumprida em Meca era impossível de imaginar, na época em que ela foi feita.  Todavia, ela foi cumprida.  De fato, Deus fez os muçulmanos ficarem seguros e terem influência política em questão de anos.

“Sem dúvida que foi dada a Nossa palavra aos Nossos servos, os mensageiros, de que seriam socorridos.” (Alcorão 37:171-172)

A princípio, os muçulmanos estabeleceram seu próprio estado, através do convite do povo de Medina, quando Deus ordenou que migrassem de Meca para lá.  Então, dentro do período de vida do Profeta, aquele estado se expandiu e tomou conta de toda a Península Arábica, do Golfo de Aqaba e do Golfo Árabe até o Mar Árabe no sul, incluindo o lugar de onde os muçulmanos tinham sido expulsos (a própria Meca).  Esse decreto era contínuo, porque a expansão do domínio político e religioso muçulmano não parou na Península Arábica.   A História nos dá o testemunho vivo de que os muçulmanos a que esses versículos se dirigem governaram as terras dos antigos impérios Persa e Romano, uma expansão que surpreendeu e conquistou a admiração dos historiadores do mundo.  Nas palavras da Enciclopédia Britânica:

“Dentro de 12 anos após a morte de Muhammad, os exércitos do Islã tomaram conta da Síria, Iraque, Pérsia, Armênia, Egito e Cirenaica (na Líbia moderna).”[5]

Navegação de Artigos:
<< Artigo Anterior || Próximo Artigo >>

Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML

Centro Islâmico de Taubaté © 2009-2017, todos os direitos reservados.
Rua Benedito Silveira Moraes, 221, Bairro Jardim do Sol - Taubaté - SP. CEP: 12070-290. Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940.
E-mail:
siteluzdoislam@gmail.com

2,427,590 visitas únicas

site desenvolvido por www.wsdbrasil.com.br

Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2017 by Nick Jones. Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3