Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940
Email: siteluzdoislam@gmail.com

Hierarquia dos Artigos
Início dos Artigos » Os Benefícios do Islam » Paz e Segurança (parte 1 de 3): Paz com Deus
Tamanho da Fonte
Paz e Segurança (parte 1 de 3): Paz com Deus
Descrição: Como o Islã cria um senso de paz com o Criador e consigo mesmo.
Por Jamaal al-Din Zarabozo (© 2011 IslamReligion.com)
Publicado em 26 Sep 2011 - Última modificação em 26 Sep 2011

Visualizado: 58 (média diária: 23) - Classificação: nenhum ainda - Classificado por: 0
Impresso: 0 - Enviado por email: 0 - Comentado em: 0

Categoria: Artigos > Os Benefícios do Islã > Benefícios para a Sociedade

A Relação entre Islã e “Paz” (Salaam)

Talvez a melhor maneira de começar uma discussão da relação entre Islã, paz e segurança seja lidar com uma afirmação que é ouvida com frequência esses dias: “Islã significa paz.” Se quem faz essa afirmação quer dizer que o significado real da palavra “Islã” é “paz”, então está definitivamente equivocado.  É verdade que a palavra Islã e a palavra árabe para paz (salaam) vêm da mesma raiz.  Isso demonstra que vai haver uma relação entre as duas.  É vitalmente importante entender o que é essa relação e como ela ocorre.

A palavra “Islã” é o substantivo verbal do verbo aslama.  Esse verbo é definido como “ele se resignou ou submeteu”.  Quando usado em relação a Deus, significa “ele se tornou submisso a Deus.” [1] Dessa forma, o Islã refere-se a um indivíduo que reconhece quem é seu Senhor e reconhece que sua atitude em relação ao seu Senhor e Criador deve ser de submissão e adoração.

Essa compreensão do que a palavra Islã significa é vital para o entendimento da relação entre Islã e paz.  Islã, a submissão a Deus, é o que leva à paz verdadeira.  A paz verdadeira – interna e externamente - só pode ser o resultado da implementação correta do Islã.  Claro, o que se quer dizer não é simplesmente paz como em “ausência de um estado de guerra.” Paz significa muito mais que isso.  Pode-se estar livre de guerra e ainda assim sofrer de ansiedade ou desespero e falta de paz.  Aqui estamos referindo a um senso completo de paz.  O Islã traz tranquilidade e paz de espírito completas que são resultado de perceber que se crê e age de acordo com a orientação do Criador.  Essa paz interior pode então se propagar para a família, a comunidade, a sociedade e o mundo como um todo.[2] É uma forma especial de tranquilidade que só pode ser produzida pela crença adequada em Deus.  Assim, Deus diz:

“Já vos chegou de Deus uma Luz e um Livro lúcido através do qual Deus conduzirá aos caminhos da salvação aqueles que procurarem a Sua complacência e, por Sua vontade, tirá-los-á das trevas e os levará para a luz, encaminhando-os para a senda reta” (Alcorão 5:15-16)

De fato, Deus está chamando os humanos para a morada de paz eterna:

“Deus convoca à morada da paz e encaminha à senda reta quem Lhe apraz” (Alcorão 10:25)

Para aqueles que seguem esse caminho, sua recompensa suprema será a morada de paz:

“Obterão a morada de paz junto ao seu Senhor, porque ele será o seu protetor por tudo quanto fizerem” (Alcorão 6:127)

Em resumo, não é correto dizer “Islã quer dizer paz”, mas certamente a paz verdadeira vem somente através do Islã.

Como o Islã Traz Paz

Paz verdadeira e completa só pode ser obtida quando os próprios indivíduos alcançam paz interior.  Isso resulta somente do Islã ou da verdadeira submissão a Deus.  É o único modo de vida consistente com a natureza dos seres humanos.  De fato, é o que pode ser chamado de “vida verdadeira.” Assim, Deus diz:

“Ó vós que credes! Atendei a Deus e ao Mensageiro, quando ele vos convocar à salvação.” (Alcorão 8:24)

Conhecer Deus é o que traz verdadeiro contentamento à alma.  Se o indivíduo não conhece seu Criador, sua alma estará sempre ansiando por algo que falta em sua vida.   Estará sempre agitado e confuso.  Se e quando busca outras coisas além de Deus – mesmo coisas que ele acredita que sejam seu “deus” – terminará em desespero quando perceber que todas as coisas que busca não são o Ser que seu coração anseia.

Ibn Taimiyyah escreveu:

Você deve saber que a necessidade humana[3] por Deus – adorá-Lo e não associá-Lo com qualquer parceiro – é uma necessidade com a qual não se pode fazer analogia.  Em algumas questões parece a necessidade do corpo por alimento e bebida.  Entretanto, existem muitas diferenças entre as duas.

A realidade de um ser humano está em seu coração e alma.  Não podem ser prósperos exceto através de sua relação com Deus, sem existir outro deus.  Não existe [por exemplo] tranquilidade nesse mundo, a não ser em Sua recordação.  Verdadeiramente o homem caminha na direção de seu Senhor e O encontrará.  Deve definitivamente encontrá-Lo.  Não existe bondade verdadeira para ele exceto encontrá-Lo.[4] Se o humano experimenta qualquer prazer ou felicidade fora de Deus, aquela alegria e felicidade não durarão.  Mudará de uma natureza para outra ou de uma pessoa para outra.  A pessoa a desfrutará uma vez ou somente parte do tempo.  De fato, às vezes a coisa que desfruta e da qual obtém prazer não lhe traz prazer ou satisfação.  Às vezes até o prejudica quando chega até ele.  E é ainda mais prejudicado por isso.  Mas seu Deus está sempre definitivamente com ele sob quaisquer circunstâncias e todos os momentos.  Onde quer que esteja, Deus está com ele [através de Seu conhecimento e ajuda]...

Se alguém adora qualquer outra coisa além de Deus - mesmo que a ame e obtenha algum amor nesse mundo e alguma forma de prazer a partir disso – [a falsa adoração] destruirá a pessoa de uma forma maior que o dano causado a uma pessoa que consome veneno...

Saiba que se alguém ama algo por outro motivo que não seja Deus, então aquela coisa amada definitivamente será uma causa de prejuízo e punição... Se alguém ama algo por outro motivo que não seja Deus, aquela coisa o prejudicará esteja com ele ou não....[5]

Toda a fortuna e os bens desse mundo não serão capazes de trazer ao humano contentamento interior verdadeiro.  Abu Hurairah narrou que o Profeta, que a misericórdia e bênçãos de Deus estejam sobre ele, afirmou:

“A verdadeira riqueza não é através de muitas propriedades e bens. A verdadeira riqueza está na autossatisfação.”[6]

Outro hadith afirma:

“A verdadeira riqueza é a riqueza do coração. Pobreza verdadeira é a pobreza do coração.” [7]

Uma vez que um indivíduo esteja em paz consigo mesmo e livre de agitações interiores, ele pode entrar em relações verdadeiramente pacíficas com outros.  Não terá razão para sentir ressentimento em relação ao resto do mundo – aqueles a quem ele pode culpar por sua falta de paz interior.  De fato, uma vez que o objetivo dele é a Vida Futura, não tem motivos até para sentir inveja ou ódio em relação aos outros por conta do que receberam nesse mundo – enquanto que a inveja e o ódio atingem a raiz das relações pacíficas com outros.



Footnotes:

[1] E. W. Lane, Arabic-English Lexicon (Léxico Árabe-Inglês) (Cambridge, Inglaterra: The Islamic Texts Society, 1984), vol.1, p. 1413.

[2] Sobre esse ponto pode-se ler Sayyed Qutb, Islam and Universal Peace (Islã e Paz Universal, em tradução livre) (Indianapolis, IN: American Trust Publications, 1977), passim.

[3] A palavra que ibn Taimiya usou foi abd (servo ou escravo); entretanto, sua inferência é todo ser humano.

[4] Isso é porque a alma, por sua natureza enraizada, anseia por seu encontro com seu Criador.

[5] Ibn Taimiya, Majmoo, vol. 1, pp. 24-29.

[6] Registrado por al-Bukhari e Muslim.

[7] Registrado por ibn Hibbaan. De acordo com al-Albaani, é autêntico. Ver al-Albaani, Saheeh al-Jaami al-Sagheer, #7816.

leia o artigo original em: http://www.islamreligion.com/pt/articles/512/

Navegação de Artigos:
<< Artigo Anterior || Próximo Artigo >>

Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML

Centro Islâmico de Taubaté © 2009-2017, todos os direitos reservados.
Rua Benedito Silveira Moraes, 221, Bairro Jardim do Sol - Taubaté - SP. CEP: 12070-290. Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940.
E-mail:
siteluzdoislam@gmail.com

2,427,631 visitas únicas

site desenvolvido por www.wsdbrasil.com.br

Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2017 by Nick Jones. Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3