Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940
Email: siteluzdoislam@gmail.com

Hierarquia dos Artigos
Início dos Artigos » Sistemas no Islam » A Natureza Coesiva da Família (parte 4 de 4)
Tamanho da Fonte
A Natureza Coesiva da Família (parte 4 de 4)
Descrição: Os direitos dos filhos sobre seus pais e a ênfase que o Islã dá na manutenção das boas relações com outros parentes.
Por Jamaal al-Din Zarabozo (© 2012 IslamReligion.com)
Publicado em 23 Jan 2012 - Última modificação em 23 Jan 2012

Visualizado: 79 (média diária: 4) - Classificação: nenhum ainda - Classificado por: 0
Impresso: 8 - Enviado por email: 0 - Comentado em: 0

Categoria: Artigos > Sistemas no Islã > Família

Os Filhos

É claro de muitos versículos no Alcorão que ter filhos é considerado uma bênção de Deus.  Portanto, Deus diz quando relata algumas de suas bênçãos para a humanidade:

“Deus vos designou esposas de vossa espécie, e delas vos concedeu filhos e netos, e vos agraciou com todo o bem; crêem, porventura, na falsidade e descrêem das mercês de Deus?” (Alcorão 16:72)

Assim, encontra-se o profeta Zacarias orando a Deus que lhe conceda filhos (Alcorão 3:38). Além disso, ter filhos é algo conhecido por ser amado pelos pais.  Assim, Deus diz:

“Os bens e os filhos são o ornamento da vida terrena.” (Alcorão 18:46)

Ao mesmo tempo, entretanto, todo pai deve perceber que ter filhos é uma grande responsabilidade e teste de Deus.  Deus disse:

“Em verdade os vossos bens e os vossos filhos são uma mera tentação. Mas sabei que Deus vos reserva uma magnífica recompensa.” (Alcorão 64:15)

Deus também diz:

“Ó crentes, precavei-vos, juntamente com as vossas famílias, do fogo, cujo alimento serão os homens e as pedras,...”   (Alcorão 66:6)

O significado desse versículo foi reiterado pelo profeta Muhammad, que a misericórdia e bênçãos de Deus estejam sobre ele, quando disse:

“Todos vocês são protetores e serão questionados sobre o que lhes foi dado em custódia.  O homem é responsável por sua casa e será questionado sobre suas responsabilidades.  A esposa será questionada sobre a casa de seu marido e as responsabilidades dela.”[1]

O Islã, portanto, enche o humano com apreciação por ser abençoado com um filho ao mesmo tempo em que percebe que essa criança é uma pesada responsabilidade.  Os pais devem cuidar da criança e educá-la da melhor maneira possível, tentando protegê-la do Inferno.

Os sábios muçulmanos consideram que os direitos das crianças começam muito antes de serem concebidas, através da seleção de um cônjuge devoto e virtuoso.  Esse é o primeiro passo para prover um bom lar e ambiente para a criança.  No período do nascimento da criança existem outras obrigações importantes, como escolher um bom nome e oferecer um animal em sacrifício em nome da criança.[2] Além disso, os direitos mais importantes da criança incluem:

(1)  ser mantida e provida de uma maneira saudável;

(2)  aprender os princípios da religião;

(3)  ser tratada com compaixão e misericórdia;

(4)  justiça entre vários irmãos; e

(5)  ter um bom exemplo estabelecido por seus pais.

Outros Parentes

Uma família também inclui irmãos e outros parentes próximos.  O Islã certamente não ignorou nenhum parente de um indivíduo.  Em várias passagens no Alcorão Deus enfatiza a importância de tratar os parentes de forma boa e gentil.  Por exemplo, Deus diz:

“Adorai a Deus e não Lhe atribuais parceiros. Tratai com benevolência vossos pais e parentes,...”   (Alcorão 4:36)

Deus também fala sobre o dispêndio com parentes:

“Perguntam-te que parte devem gastar (em caridade). Dize-lhes: Toda a caridade que fizerdes, deve ser para os pais, parentes,...” (Alcorão 2:215)

Deus também diz:

“A virtude não consiste só em que orientais vossos rostos até ao levante ou ao poente. A verdadeira virtude é a de quem crê em Deus, no Dia do Juízo Final, nos anjos, no Livro e nos profetas; de quem distribuiu seus bens em caridade por amor a Deus, entre parentes,...”  (Alcorão 2:177)

Perguntaram ao profeta Muhammad:

“Informe-me de uma ação que me aproximará do Paraíso e me distanciará do Inferno.”  Ele respondeu: “Adore a Deus e não Lhe atribua nenhum parceiro, estabeleça a oração, pague o zakat e mantenha os laços de parentesco.”[3]

Manter os laços de parentesco se refere a fazer o bem a eles com a fala, ações e bens.  Inclui palavras gentis, visitas, caridade e generosidade.  Também inclui impedir que qualquer dano os atinja e fazer o melhor para levar-lhes felicidade.

O muçulmano deve entender que manter os laços de parentesco é uma obrigação e não simplesmente um ato meritório.  No Alcorão, Deus louva aqueles...

“...unem o que Deus ordenou fosse unido, temem seu Senhor e receiam o terrível ajuste de contas.”  (Alcorão 13:21)

O Profeta disse:

“Aquele que corta os laços de parentesco não entrará no Paraíso.”[4]

O Islã enfatizou todo tipo de laço familiar possível.  Forneceu orientação mostrando a importância dos laços com parentes, filhos, cônjuges e outros parentes.  Exorta todo muçulmano a manter esse laços para receber de volta a satisfação de Deus.  Além disso (embora não totalmente enfatizado nesse breve trabalho), forneceu leis e regulamentos estritos que permitem ao indivíduo perceber como manter da melhor maneira os laços adequados com todos de sua família.



Footnotes:

[1] Saheeh Al-Bukhari, Saheeh Muslim.

[2] Nesse sacrifício, chamado de aqeeqah, a carne é distribuída aos pobres, à família, amigos e vizinhos (IslamReligion).

[3] Saheeh Al-Bukhari, Saheeh Muslim.

[4] Saheeh Muslim.

leia o artigo original em: http://www.islamreligion.com/pt/articles/505/

Navegação de Artigos:
<< Artigo Anterior || Próximo Artigo >>

Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML

Centro Islâmico de Taubaté © 2009-2017, todos os direitos reservados.
Rua Benedito Silveira Moraes, 221, Bairro Jardim do Sol - Taubaté - SP. CEP: 12070-290. Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940.
E-mail:
siteluzdoislam@gmail.com

2,430,006 visitas únicas

site desenvolvido por www.wsdbrasil.com.br

Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2017 by Nick Jones. Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3