Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940
Email: siteluzdoislam@gmail.com

Hierarquia dos Artigos
Início dos Artigos » A Crença do Muçulmano » Anjos (parte 1 de 3)
Tamanho da Fonte
Anjos (parte 1 de 3)
Descrição: Os atributos dos anjos.
Por Aisha Stacey (© 2012 IslamReligion.com)
Publicado em 05 Mar 2012 - Última modificação em 05 Mar 2012

Visualizado: 166 (média diária: 25) - Classificação: nenhum ainda - Classificado por: 0
Impresso: 1 - Enviado por email: 0 - Comentado em: 0

Categoria: Artigos > Crenças do Islã > Os Seis Pilares da Fé e Outras Crenças Islâmicas

Os muçulmanos crêem na existência de anjos.  No Islã existem seis pilares da fé: crença em Deus, o Único, o Criador e Sustentador de tudo que existe, crença em Seus anjos, Seus livros, Seus mensageiros, no Dia do Juízo e na predestinação divina.

Os anjos são parte do mundo invisível, mas os muçulmanos crêem firmemente em sua existência porque Deus e Seu mensageiro, Muhammad, nos forneceram informações sobre eles.  Os anjos foram criados por Deus para que O adorassem e obedecessem.

“Os anjos ... jamais desobedecem às ordens que recebem de Deus, mas executam tudo quanto lhes é imposto.” (Alcorão 66:6)

Deus criou os anjos a partir da luz.  O profeta Muhammad, que Deus o louve, disse: “Os anjos são criados a partir da luz” [1]. Não temos conhecimento de quando os anjos foram criados, entretanto, sabemos que foi antes da criação da humanidade. O Alcorão explica que Deus contou aos anjos de Sua intenção de criar um vice-gerente na terra. (2:30)

Os muçulmanos sabem que os anjos são criações belas.  No Alcorão 53:6 Deus descreve os anjos como dhoo mirrah, que é um termo árabe que os sábios islâmicos renomados[2] definem como altos e de bela aparência.  O Alcorão (12:31) também descreve o profeta José como belo, como um anjo nobre.

Os anjos têm asas e podem ser muito grandes.  Não há nada no Alcorão ou nas tradições do profeta Muhammad que indique os anjos como bebês com asas ou com qualquer tipo de gênero.[3] Sabemos, entretanto, que os anjos têm asas e alguns são muito grandes.  Das tradições do profeta Muhammad sabemos que o enorme tamanho do anjo Gabriel preenchia “o espaço entre o céu e a terra” [4] e que ele tinha 600 asas[5].

“Louvado seja Deus, Criador dos céus e da terra, Que fez dos anjos mensageiros, dotados de dois, três ou quatro pares de asas...” (Alcorão 35:1)

Também existem diferenças nas condições dos anjos.  Os anjos que estavam presentes na primeira batalha, a batalha de Badr, são conhecidos como os “melhores” entre os anjos.

“O anjo Gabriel veio ao profeta e perguntou: “Como você classifica as pessoas que estavam presentes em Badr?” Muhammad, que Deus o louve, respondeu: “São os melhores entre os muçulmanos”, ou algo semelhante. Gabriel então disse: “Da mesma forma é com os anjos que estavam presentes em Badr.””[6]

Os muçulmanos acreditam que os anjos não precisam comer ou beber.  Seu sustento é glorificar Deus e repetir as palavras “não há divindade, exceto Deus.” (Alcorão 21:20)

“. . . “...aqueles que estão na presença do teu Senhor glorificam-No noite e dia, sem contudo se enfadarem.” (Alcorão 41:38)

A história do profeta Abraão no Alcorão também indica que os anjos não têm necessidade de alimento.  Quando anjos, em forma de homens, visitaram o profeta Abraão para dar-lhe as boas vindas do nascimento de um filho, ele ofereceu um bezerro em sua honra.  Recusaram-se a comer e ficaram muito temerosos. Foi quando revelaram serem anjos. (Alcorão 51:26-28)

Existem muitos anjos, mas somente Deus sabe o número exato.  Durante sua ascensão ao céu o profeta Muhammad visitou a Casa de Adoração, conhecida como “a casa muito frequentada” ou, em árabe, al Bayt al-Mamoor, o equivalente celestial da Caaba.[7]

Então fui levado à “Casa Muito Frequentada”: todos os dias setenta mil anjos a visitavam e depois a deixavam, nunca retornando. E, então, vinha outro grupo depois desse.” [8]

O profeta Muhammad também nos informou que no Dia do Juízo o inferno será apresentado às pessoas.  Ele disse: “O Inferno será trazido naquele Dia através de setenta mil cordas, cada uma sendo sustentada por setenta mil anjos.”[9]

Os anjos têm grandes poderes.  Têm a capacidade de assumir formas diferentes.  Apareceram perante o profeta Abraão e o profeta Lot como homens.  O anjo Gabriel apareceu perante Maria, a mãe de Jesus, como um homem (Alcorão 19:17) e perante o profeta Muhammad como um homem, cujas roupas eram extremamente brancas e cujo cabelo era extremamente preto.[10]

Os anjos são fortes.  Quatro anjos carregam o trono de Deus e no Dia do Juízo seu número aumentará para oito.  Entre as tradições do profeta Muhammad está a narração que descreve um dos anjos que carrega o trono de Deus.  “A distância entre os lóbulos de suas orelhas e seus ombros é equivalente a uma viagem de setecentos anos.”[11]

Os anjos executam vários deveres e responsabilidades.  Alguns são responsáveis por questões do universo.  Alguns são responsáveis pelos mares ou montanhas ou pelo vento.  Uma vez, depois de visitar a cidade de Taif, próxima à Meca, o profeta Muhammad foi apedrejado.  O anjo Gabriel e o anjo das montanhas o visitaram.

O anjo das montanhas ofereceu destruir o povo intratável enterrando-o sob os entulhos de duas montanhas próximas. O profeta Muhammad declinou da oferta, porque acreditava que se eles tivessem uma chance de conhecer o Islã aceitariam a religião e amariam a Deus.[12]

Os anjos executam as ordens de Deus sem vacilar ou hesitar.  Cada anjo tem um dever ou função.  Alguns anjos guardam e acompanham seres humanos, outros são mensageiros.  Na parte dois examinaremos esses deveres e aprenderemos os nomes de alguns dos anjos que os desempenham.



Footnotes:

[1] Saheeh Muslim.

[2] Ibn Abbas & Qutadah.

[3] O uso do termo ele é para facilitar a gramática e de forma alguma indica que os anjos são do sexo masculino.

[4] Saheeh Muslim

[5] Musnad de Imam Ahmad.

[6] Saheeh Al-Bukhari

[7] A construção em forma de cubo no centro da Mesquita Sagrada, na cidade de Meca, Arábia Saudita.

[8] Saheeh Al-Bukhari

[9] Saheeh Muslim

[10] Ibid

[11] Sunan Abu Dawood

[12] Saheeh Al-Bukhari, Saheeh Muslim

leia o artigo original em: http://www.islamreligion.com/pt/articles/2782/

Navegação de Artigos:
<< Artigo Anterior || Próximo Artigo >>

Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML

Centro Islâmico de Taubaté © 2009-2017, todos os direitos reservados.
Rua Benedito Silveira Moraes, 221, Bairro Jardim do Sol - Taubaté - SP. CEP: 12070-290. Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940.
E-mail:
siteluzdoislam@gmail.com

2,428,011 visitas únicas

site desenvolvido por www.wsdbrasil.com.br

Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2017 by Nick Jones. Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3