Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940
Email: siteluzdoislam@gmail.com

Hierarquia dos Artigos
Início dos Artigos » Religião Comparada » Um diálogo teórico entre um muçulmano e um cristão (parte 1 de 2)
Tamanho da Fonte
Um diálogo teórico entre um muçulmano e um cristão (parte 1 de 2)
Descrição: Discussão sobre Deus, Seus profetas e Seus livros sagrados. Publicado em 22 Oct 2012 - Última modificação em 22 Oct 2012
Visualizado: 88 (média diária: 2) - Classificação: nenhum ainda - Classificado por: 0
Impresso: 0 - Enviado por email: 0 - Comentado em: 0

Categoria: Artigos > Religião Comparada > Cristianismo

Abdullah: Olá! Como você está cara?

Derek: Olá! Bem e você?

Abdullah: Bem e você?

Derek: Bem, obrigado.

Abdullah: De onde você é?

Derek: Sou de Los Angeles.

Abdullah: A terra de Hollywood!

Derek: Sim, correto. Já esteve em Los Angeles?

Abdullah: Não, nunca. Por que se chama “Magia Negra”?

Derek: É só um apelido!

Abdullah: Sei.

Derek: De onde você é? Você é árabe?

Abdullah: Sim, sou da Arábia Saudia, mas estou no Qatar agora. Qual o seu nome?

Derek: Meu nome é Derek. Qual o seu nome?

Abdullah: Meu nome é Abdullah.

Derek: O que significa Abdullah?

Abdullah: Significa o servo de Allah e é a função de cada indivíduo na face da terra servir a Deus de acordo com o que Ele quer de nós. A propósito, Allah é o nome próprio de Deus.

Derek: Como sabemos o que Deus ou Allah quer de nós?

Abdullah: Tudo está explicado no Alcorão e na Sunnah (tradições e atos aprovados do profeta Muhammad, que Deus o louve). Essas são as duas fontes principais de orientação no Islã. Pode me contar mais a seu respeito? Quantos anos você tem?

Derek: Tenho 19 anos e estou muito interessado em saber mais sobre o Islã. Primeiro, no que uma pessoa deve acreditar para tornar-se muçulmano?

Abdullah: Muito fácil irmão. Você só tem que dizer que não há ninguém merecedor de adoração exceto Deus e que Muhammad é Seu mensageiro e se torna muçulmano.

Derek: Você quer dizer que Muhammad é seu apóstolo? Mas como cristão ou não-muçulmano, essa frase não é suficiente para me esclarecer.

Abdullah: OK. Deus enviou Muhammad como Seu último profeta e mensageiro e revelou o Alcorão a ele como revelação final para a humanidade. Deus disse que aperfeiçoou Sua religião e a chamou de Islã (ver Alcorão 5:3). Islã significa submissão pacífica à Vontade de Deus.

Derek: Sei.

Abdullah: Sim e infelizmente a maioria dos cristãos não sabe ou nega que a vinda do profeta Muhammad foi prevista em suas escrituras (ver Deuteronômio 18:18; 21:21; Salmos 118:22-23; Isaías 42:1-13; Habacuque 3:3-4; Mateus 21:42-43; João 14:12-17, 15:26-27; 16:5-16). Os teólogos muçulmanos têm afirmado que a pessoa descrita por Jesus como vindo depois dele (nos versos acima) é Muhammad.

Derek: Ótimo, mas por que haveria necessidade de outro profeta depois de Jesus e outra revelação depois da Bíblia?

Abdullah: Todos os profetas vieram para ensinar seus povos sobre a Unicidade de Deus. No caso de Jesus, ele foi enviado como mensageiro somente para as ovelhas perdidas da casa de Israel (ver Mateus 15:24). O que aconteceu foi que todos esses profetas não foram bem recebidos pela maioria do povo. Por exemplo, começaram a alterar os ensinamentos de Moisés e Jesus, que Deus exalte suas menções (ver Alcorão 2:79). Por isso Deus enviou Muhammad com a última mensagem (ou seja, o Alcorão), para trazer toda a humanidade de volta para a crença e adoração do Deus Único, sem parceiros ou intermediários.

Derek: O Alcorão é semelhante à Bíblia? Do que é composto?

Abdullah: O Alcorão veio como o último código enfatizando os mesmos ensinamentos monoteístas puros de Jesus, defendendo todos os ensinamentos puros anteriores de crenças monoteístas e esclarecendo quem Jesus e sua mãe eram, mostrando que não eram mais que pessoas maravilhosas.

Derek: OK. Então, como podemos ter certeza de que o Alcorão permaneceu o mesmo desde a época do profeta Muhammad?

Abdullah: O próprio Deus garantiu que guardaria o Alcorão e o manteria livre de corrupção (ver Alcorão 15:9). Portanto, as palavras verdadeiras e puras de Deus são encontradas no Alcorão que foi revelado em árabe, a língua do povo de Muhammad. Desde então, nem uma vírgula foi mudada. É diferente do que aconteceu nas outras religiões. Por exemplo, se você olhar na Bíblia encontrará muitas versões; o próprio nome Bíblia é indicativo das mudanças, porque Bíblia significa uma coleção de livros de escritores diferentes.

Derek: Mas Deus não a chamou de Bíblia?

Abdullah: Deus chama a escritura revelada a Jesus de “Injeel” no Alcorão, cujo nome mais próximo na Bíblia seria a palavra Evangelho. A Bíblia foi escrita muitos anos após a época de Jesus em um idioma que era estranho a Jesus - foi latim vulgar, uma língua que ele nunca falou. Não é estranho? O mais interessante é que a maior parte do que foi escrito no Novo Testamento é de autoria de Paulo que, de acordo com Tiago, o irmão de Jesus na Bíblia, tinha uma mente poluída porque mudou e contradisse a maioria dos ensinamentos de Jesus.

Derek: Acho que você sabe mais a respeito do Cristianismo do que o Papa!

Abdullah: Está errado em dizer que sei mais que o Papa. Simplesmente investiguei a Bíblia com uma mente inquisitiva, algo que todos os cristãos deviam fazer.

Derek: Existe alguma versão em inglês do Alcorão?

Abdullah: Existem muitas traduções dos significados do Alcorão. O Alcorão foi revelado em árabe, o que significa que as palavras de Allah estão em árabe. As traduções são palavras de seres humanos relacionadas aos significados do Alcorão para as massas que não falam árabe.

Derek: Como o Alcorão define Deus para a humanidade ou como o muçulmano percebe Deus?

Abdullah: Deus é o Único e Verdadeiro Deus, o Criador de tudo. Não gerou e nem foi gerado. É diferente de Sua criação em todos os aspectos. É o Onisciente, o Poderoso, o Misericordioso, o Irresistível e o Rei dos reis.

Derek: Mas é difícil para mim perceber Deus como sendo o mesmo que Suas criaturas.

Abdullah: Você está absolutamente certo em ter dificuldade em entender isso, porque os seres humanos têm uma capacidade limitada. É por isso que Deus enviou revelações a Seus profetas e mensageiros para nos contar como Ele é. Então, se quiser saber quem é Deus, leia o Alcorão.

Derek: Os cristãos acreditam que Jesus foi enviado para a salvação de toda a humanidade. Se não é verdade, a base do Cristianismo é falha. Certo? O que você acha?

Abdullah: Está correto. Os cristãos de hoje seguem o que Paulo ensinou e também tendem a seguir o que seus líderes religiosos dizem a eles, ao invés de seguirem o que Jesus disse.

Derek: Por favor explique o conceito de salvação através da crucificação de Jesus.

Abdullah: No Cristianismo a doutrina do pecado original é a razão para que exista a necessidade de salvação através da crucificação de Jesus. Entretanto, essa doutrina foi inventada por Paulo e é fortemente negada no Velho Testamento (ver Ezequiel 18:20, Jeremias 31:30, Deuteronômio 24:16). Essa doutrina é uma tentativa de escapar à responsabilidade de virtude com a crença de que a punição é dada a outra pessoa para nos liberar de nosso fardo de pecados (ver Efésios 1:7, Romanos 4:25, 10:9, Coríntios 15:21). No Alcorão cada alma é responsável por suas próprias ações, boas ou más (ver Alcorão 74:38, 41:46,3:25, 6:154).

Derek: E sobre a crucificação em si?

Abdullah: A Bíblia diz que Jesus clamou em voz alta implorando ajuda a Deus na cruz: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” (Mateus 27:46) Isso soa como Jesus?

Derek: Não. Então qual era a aparência de Jesus para seus discípulos após a crucificação?

Abdullah: Jesus não morreu na cruz e nem ressuscitou. Se tivesse ressuscitado teria ido para seus discípulos em um corpo espiritual. Como mostrado em Lucas 24:36-43, ele os encontrou com seu corpo físico após o evento de sua suposta crucificação. No Alcorão é dito que Jesus não foi crucificado, mas sim outra pessoa que ficou com sua aparência (ver Alcorão 4:156-158).

Derek: Como a história da crucificação de Jesus entra na Bíblia?

Abdullah: Mais uma vez Paulo foi o responsável (ver Timóteo 2:8 e Romanos 5:10).

Derek: Bem, no fundo de meu coração acredito que Deus nunca pode parecer com Sua criação e nem faz o que a criação faz. O que creio é que Deus é o Perfeito e muito diferente de tudo que vemos ou tocamos. Em outras palavras, acho que o escritor nunca se parece com seu livro.

Abdullah: Você está certo. Nada é comparável a Deus (ver Alcorão 112:4). Os profetas vieram com uma mensagem muito clara para adorarmos somente a Deus, sem quaisquer parceiros ou intercessores. Entretanto, Paulo pegou crenças e práticas pagãs dos romanos e as misturou com os ensinamentos de Jesus. Consequentemente, Paulo foi o principal responsável por elevar Jesus ao status de filho de Deus (ver Atos 9:20) e deus.

Derek: Sim. Agora me lembro.O primeiro mandamento é: “Ouça, Ó Israel; O Senhor nosso Deus é o único Senhor.”

Abdullah: Você está certo. Isso está em Marcos 12:29. Além disso, o Alcorão confirma que Deus é Único: “Dize: Ele é Allah, o Único (Deus).” (Alcorão 112:1)

Derek: O que você diz faz total sentido. É incrível! Você quer dizer que o que os cristãos têm seguido por quase 2.000 anos está errado?

leia o artigo  original em: http://www.islamreligion.com/pt/articles/3280/

Navegação de Artigos:
<< Artigo Anterior || Próximo Artigo >>

Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML

Centro Islâmico de Taubaté © 2009-2017, todos os direitos reservados.
Rua Benedito Silveira Moraes, 221, Bairro Jardim do Sol - Taubaté - SP. CEP: 12070-290. Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940.
E-mail:
siteluzdoislam@gmail.com

2,430,465 visitas únicas

site desenvolvido por www.wsdbrasil.com.br

Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2017 by Nick Jones. Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3