Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940
Email: siteluzdoislam@gmail.com

Hierarquia dos Artigos
Início dos Artigos » Os Benefícios do Islam » O Valor do Tempo
Tamanho da Fonte
O Valor do Tempo
Descrição: A importância do tempo no Islã.
Por Aisha Stacey (© 2012 IslamReligion.com)
Publicado em 31 Dec 2012 - Última modificação em 31 Dec 2012
Visualizado: 148 (média diária: 7) - Classificação: 4.7 de 5 - Classificado por: 3
Impresso: 4 - Enviado por email: 1 - Comentado em: 0

Categoria: Artigos > Os Benefícios do Islã > Benefícios para a Sociedade

O que é o tempo e o que o causa  É uma dimensão? Podemos reduzi-lo ou acelerá-lo?  Quando pensamos no tempo tendemos a pensar nas formas com as quais medimos a passagem do tempo, um relógio ou cronômetro, ou pensamos em um intervalo de tempo como uma hora ou minuto.  A humanidade sempre se preocupou com o tempo: a passagem do tempo, a medição do tempo e as qualidades científicas do tempo.  Falamos sobre viagem no tempo, a relatividade do tempo, a direção do tempo e a roda do tempo.

Existem teorias e conceitos sobre o tempo e ele é estudado na religião, filosofia e ciência.  O tempo tem até valor econômico.  Tempo é dinheiro. O tempo tem importância social e pessoal; usamos nosso conceito de tempo para situar eventos e marcos em sequência.  Ordenamos nossas vidas com base no tempo e no Islã as vidas são estruturadas com base nas orações diárias.  No século 11 Avicena duvidou da existência do tempo físico, argumentando que o tempo só existia na mente devido à memória e expectativa.  Os teólogos islâmicos e cristãos adotaram a ideia de que o tempo é linear.  Versos da Bíblia nos dizem que existe um tempo para tudo.  "Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu." (Eclesiastes 3:1)[1]

O tempo tem valor intrínseco que é reconhecido até em músicas motivacionais para adultos e cantigas de roda para crianças.  Para perceber o valor de um ano, pergunte a um estudante que foi reprovado.  Para perceber o valor de um mês, pergunte à mãe de um bebê prematuro e para perceber o valor de um segundo pergunte ao sobrevivente de um acidente.[2]

O Alcorão e as tradições do profeta Muhammad, que Deus o louve, deixam claro que o Islã considera o tempo um recurso muito valioso.  Os crentes são encorajados a conscientizarem-se do tempo, reconhecer sua importância e organizá-lo de forma sábia.  Se os seres humanos não desperdiçarem ou abusarem do tempo, mas pensarem nele como uma bênção de Deus, terão toda a razão para esperarem sucesso nessa vida e na vida futura.

" Pela era,  Que o homem está na perdição,  Salvo os crentes, que praticam o bem, aconselham-se na verdade e recomendam-se, uns aos outros, a paciência e a perseverança!" (Alcorão 103)

O profeta Muhammad instruiu seus seguidores e, consequentemente, os crentes a conhecerem e valorizarem a importância do tempo nas seguintes tradições:

A humanidade permanecerá de pé no Dia do Juízo até que seja perguntada sobre quatro coisas: sua vida e como a viveu; sua juventude e como a usou; seus bens e como os adquiriu e gerenciou; seu conhecimento e como o utilizou.

Existem dois dos favores de Deus que são esquecidos por muitas pessoas: saúde e tempo livre.[3]

O Islã nos ensina que o tempo passa muito rápido e não pode retornar nunca. É irrecuperável.  É a dádiva mais preciosa que a humanidade possui e pode ser tirada de nós a qualquer momento.  Deus é o Doador, mas também é o Limitador.  O tempo passa rapidamente e Deus nos lembra no Alcorão que os meses e anos passam, mas quando estivermos diante Dele no Dia do Juízo nosso tempo na terra parecerá como se tivéssemos vivido, sonhado e adorado por menos de um dia.

“Um deles disse: Quanto tempo permanecestes aqui? Responderam: Estivemos um dia, ou parte dele! Outros disseram: Nosso Senhor sabe melhor do que ninguém o quanto permanecestes.”   (Alcorão 18:19)

"Responderão: Permanecemos um dia ou uma parte de um dia.   Interrogai, pois, os encarregados dos cômputos." (Alcorão 23:113)

Um crente não deve desperdiçar tempo precioso em coisas que não o aproximarão de seu Criador.  Ações que não o beneficiam ou à sua sociedade ou à humanidade em geral, são ações desperdiçadas, tempo perdido.  O Islã categorizou as coisas de acordo com o seu nível de importância.  Os primeiros muçulmanos costumavam capturar e usar cada segundo de seu tempo.

Thabit Al-Bunany disse: "Quando meu pai estava em seu leito de morte, fui ajudá-lo a pronunciar o testemunho de que não há divindade merecedora de adoração, exceto Allah, mas ele disse: 'Filho! Deixe-me sozinho, porque recitei todas as minhas súplicas cinco vezes e estou no sexto ciclo agora."

O profeta Muhammad também disse a seus seguidores: "Não amaldiçoe o tempo (al-dahr) porque foi Deus Quem preparou o tempo." [4] Imam An Nawawi comentou sobre isso dizendo que o significado da frase "porque foi Deus Quem preparou o tempo" significa que é Ele Quem faz com que eventos e acidentes ocorram e é o Criador de tudo que acontece.

Aqueles que entendem o valor do tempo devem esforçar-se para organizar seu tempo e fazer planos realistas.  A vida inteira de um crente pode ser considerada adoração quando aquela pessoa está consciente de fazer apenas o que agrada a Deus.  As obrigações religiosas devem ser a prioridade. Entretanto, Deus é generoso e o tempo que parece voar quando estamos ocupados com nossos afazeres torna-se cheio de bênçãos quando o estamos usando para agradar nosso Criador.

As palavras de Deus no Alcorão e a mensagem do profeta Muhammad aos crentes são claras e é dito à humanidade que se conscientize do tempo.  Deus nos lembra de que a vida nesse mundo é temporária e não sabemos o momento designado de nossa morte.  Como crentes não devemos desperdiçar ou abusar do tempo, mas sim valorizá-lo como uma bênção de Deus.  Devemos compreender que desperdiçar um único momento é uma oportunidade perdida que nunca retornará.  Quando nosso tempo nesse mundo terminar não haverá volta e seremos responsabilizados por tudo que fizemos. O tempo é muito precioso!



Footnotes:

[1] Bíblia - Almeida Corrigida e Revisada Fiel

[2] Uma música motivacional - autor anônimo

[3] Saheeh Al-Bukhari

[4] Saheeh Muslim

leia o artigo original em: http://www.islamreligion.com/pt/articles/4155/

Navegação de Artigos:
<< Artigo Anterior || Próximo Artigo >>

Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML

Centro Islâmico de Taubaté © 2009-2017, todos os direitos reservados.
Rua Benedito Silveira Moraes, 221, Bairro Jardim do Sol - Taubaté - SP. CEP: 12070-290. Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940.
E-mail:
siteluzdoislam@gmail.com

2,429,827 visitas únicas

site desenvolvido por www.wsdbrasil.com.br

Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2017 by Nick Jones. Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3