Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940
Email: siteluzdoislam@gmail.com

Hierarquia dos Artigos
Início dos Artigos » A Crença do Muçulmano » Estamos sozinhos? (parte 1 de 3): O mundo dos gênios
Tamanho da Fonte
Estamos sozinhos? (parte 1 de 3): O mundo dos gênios
Descrição: O que são os gênios?
Por Aisha Stacey (© 2013 IslamReligion.com)
Publicado em 24 Jun 2013 - Última modificação em 24 Jun 2013
Visualizado: 250 (média diária: 14) - Classificação: nenhum ainda - Classificado por: 0
Impresso: 5 - Enviado por email: 0 - Comentado em: 0

Categoria: Artigos > Crenças do Islã > Os Seis Pilares da Fé e Outras Crenças Islâmicas

Ao longo da história a humanidade tem sido atraída pelo sobrenatural.  Espíritos, fantasmas e muitas outras criaturas estranhas têm enchido nossas mentes e capturado nossas imaginações.  Espectros estranhos e atraentes têm às vezes levado pessoas a cometer o maior dos pecados - Shirk.[1] Então, esses espíritos são reais?  São mais que apenas invenções de nossa imaginação ou sombras moldadas a partir de fumaça e ilusão? Bem, de acordo com os muçulmanos eles são bem reais.   Espíritos, fantasmas, banshees, poltergeists e fantasmas podem todos ser explicados quando se entende o conceito islâmico de espíritos - o mundo dos jinns (gênios).

Jinn é uma palavra que não é totalmente estranha para os falantes de outros idiomas. Note a semelhança entre jinn e gênio. A TV e o cinema têm feito seu papel descrevendo os gênios como criaturas brincalhonas capazes de satisfazer os desejos da humanidade. O gênio na série de televisão "Jeanie é um Gênio)" era uma mulher jovem que sempre conseguia criar travessuras engraçadas e no filme animado da Disney "Aladin" o gênio era retratado como adorável. Apesar disso os jinns não são parte de uma história de fadas inofensiva; são muito reais e podem apresentar uma ameaça muito verdadeira à humanidade.

Entretanto, Deus, o Sábio, não nos deixou indefesos. Explicou a natureza dos gênios muito claramente. Sabemos seus métodos e motivos porque Deus nos revelou essas coisas no Alcorão e nas tradições do profeta Muhammad, que Deus o exalte. Ele nos deu as "armas" para nos protegermos e os meios para resistir à persuasão deles. Primeiro, entretanto, devemos deixar claro o que exatamente são os jinns.

A palavra árabe Jinn vem do verbo "janna" e significa ocultar ou esconder. Os jinns são chamados assim porque se ocultam da visão das pessoas. As palavras janin (feto) e mijann (escudo) vêm da mesma raiz.[2] Os jinns, como o nome sugere, são normalmente invisíveis aos humanos. Os jinns são parte da criação de Deus. Foram criados do fogo antes da criação de Adão e da humanidade.

“Criamos o homem de argila, de barro modelável. Antes dele, havíamos criado os gênios de fogo puríssimo." (Alcorão 15: 26-27)

De acordo com as tradições do profeta Muhammad os anjos foram criados de luz, os gênios do fogo e a humanidade "do que foi descrito a vocês" (significando argila)[3]. Deus criou os anjos, gênios e a humanidade com o único propósito de O adorarem.

“E Eu não criei os jinns e os humanos senão para adorar-Me...” (Alcorão 51:56)

Os gênios existem no nosso mundo, mas vivem em seu próprio mundo. Têm natureza e características próprias e distintas e geralmente ficam ocultos da humanidade.  Os gênios e humanos têm alguns traços comuns, a mais importante das quais é o livre arbítrio e, com isso, a habilidade de escolher entre o bem e o mal, certo e errado. Os gênios comem e bebem, casam, têm filhos e morrem.

"Temos criado para o inferno numerosos gênios e humanos. Com corações com os quais não compreendem, olhos com os quais não veem, e ouvidos com os quais não ouvem. São como as bestas, quiçá pior, porque são displicentes." (Alcorão 7:179)

O sábio islâmico Ibn Abd al Barr disse que os gênios têm vários nomes e são de vários tipos. Em geral são chamados gênios; um gênio que vive entre as pessoas (um fantasma) é chamado Aamir e se é o tipo de jinn que se prende a uma criança é chamado Arwaah. Um gênio maléfico é chamado de Satanás (demônio), quando são mais que maléficos, demoníacos, são chamados de Maarid e os jinns mais maléficos e fortes são chamados de Ifreet (plural afaareet).[4] Nas tradições do profeta Muhammad os gênios estão divididos em três classes: os que têm asas e voam, os que se parecem com cobras e cães e os que viajam incessantemente.[5]

Entre os gênios existem os que creem em Deus e na mensagem de todos os profetas de Deus e aqueles que não creem. Também existem os que abandonarão seus jeitos maléficos e se tornarão verdadeiros crentes, fiéis e pacientes.

“Dize (Ó Muhammad):  Foi-me revelado que um grupo de gênios escutou (a recitação do Alcorão). Disseram: Em verdade, ouvimos um Alcorão admirável. Que guia à verdade, pelo que nele cremos, e jamais atribuiremos parceiro alguém ao nosso Senhor." (Alcorão 72: 1-2)

Os gênios são responsáveis perante Deus e sujeitos aos Seus comandos e proibições. Terão que prestar contas e entrarão no paraíso ou inferno.  Os gênios estarão presentes com a humanidade no Dia do Juízo e Deus Se dirigirá a ambos.

"Ó assembleia de gênios e humanos! Acaso não se vos apresentaram mensageiros, dentre vós, que vos ditaram Meus versículos e vos admoestaram com o comparecimento neste vosso dia?  Dirão: Testemunhamos contra nós mesmos! A vida terrena os iludiu, e confessarão que tinham sido incrédulos." (Alcorão 6:130)

Até agora aprendemos que seres sobrenaturais existem. Não estamos sozinhos. São criaturas que vivem conosco e, ainda assim, separados de  nós.  Sua existência oferece uma explicação para muitas ocorrências estranhas e perturbadoras. Sabemos que os gênios são bons e maus, embora os causadores de problemas e malfeitores superem em muito o número de crentes.

O conceito de Satanás ser um anjo caído faz parte das doutrinas do Cristianismo, mas de acordo com o Islã Satanás é um gênio, não um anjo.  Deus fala muito de Satanás no Alcorão. Na parte dois discutiremos mais sobre o próprio Satanás e o que fez com que fosse expulso da misericórdia de Deus.



Footnotes:

[1] Shirk - é o pecado de idolatria ou politeísmo.  O Islã ensina que existe um Deus, Sozinho, sem parceiros, descendência ou intermediários.

[2] Ibn Aqeel Aakaam al Mirjaan fi Ahkaam al Jaan.  P7.

[3] Saheeh Muslim

[4] Aakaam al Jaan. 8.

[5] At Tabarani, Al Hakim & Al Bayhaqi.

leia o artigo original em: http://www.islamreligion.com/pt/articles/4172/

Navegação de Artigos:
<< Artigo Anterior || Próximo Artigo >>

Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML

Centro Islâmico de Taubaté © 2009-2018, todos os direitos reservados.
Rua Benedito Silveira Moraes, 221, Bairro Jardim do Sol - Taubaté - SP. CEP: 12070-290. Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940.
E-mail:
siteluzdoislam@gmail.com

2,883,522 visitas únicas

site desenvolvido por www.wsdbrasil.com.br

Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2018 by Nick Jones. Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3