Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940
Email: siteluzdoislam@gmail.com

Hierarquia dos Artigos
Início dos Artigos » Adoração e Prática » Uma direção, um povo, um Deus
Tamanho da Fonte
Uma direção, um povo, um Deus
Descrição: Por que os muçulmanos se voltam para Meca quando oram?
Por Aisha Stacey (© 2013 IslamReligion.com)
Publicado em 23 Sep 2013 - Última modificação em 23 Sep 2013
Visualizado: 250 (média diária: 5) - Classificação: 5 de 5 - Classificado por: 1
Impresso: 3 - Enviado por email: 0 - Comentado em: 0

Categoria: Artigos > Adoração e Prática > Os Cinco Pilares do Islã e Outros Atos de Adoração

Existem mais de 1,5 bilhões de muçulmanos no mundo, e cada vez que oram, voltam seus rostos na direção de Meca.  O termo islâmico para essa direção é qibla.  Quando um muçulmano se prepara para orar, não importa onde esteja, se volta para a qibla, a direção da Caaba.  A Caaba é uma pequena edificação em forma de cubo no pátio da mesquita conhecida como Masjid Al Haram, na cidade de Meca, na Arábia Saudita.

“Aonde quer que te dirijas (ó Muhammad), orienta teu rosto para a Sagrada Mesquita, porque isto é a verdade do teu Senhor.  E Deus não está desatento a quanto fazeis.” (Alcorão 2:148-149)

Os muçulmanos não adoram a Caaba ou seu conteúdo, é simplesmente um ponto focal.  Muçulmanos adoram o Deus Único, o Misericordioso e o Sábio.  Deus decretou que ao orar, todos os muçulmanos se voltem para uma direção.  É um sinal de unidade que encapsula a unidade embutida na religião do Islã.

A palavra árabe para oração é salat e denota uma conexão entre o crente e Deus; quando todos os crentes se voltam para a mesma direção, isso acrescenta uma dimensão extra à conexão.  A oração conecta os crentes a Deus e a qibla conecta os crentes uns aos outros.  Foi dito que se alguém pudesse observar todos os muçulmanos em oração seríamos capazes de ver linhas de adoradores se curvando e prostrando como pétalas de uma flor se abrindo e fechando em uníssono.

A qibla nem sempre foi orientada na direção de Meca.  Os primeiros muçulmanos oravam voltados para a mesquita de al Aqsa, em Jerusalém.  Aproximadamente dezesseis meses depois do profeta Muhammad e seus seguidores migrarem de Meca para a cidade de Medina, a qibla foi mudada para a Caaba.  De acordo com relatos feitos pelos companheiros do profeta Muhammad, a mudança aconteceu muito repentinamente.  Durante a oração do meio-dia o profeta Muhammad, que Deus o exalte, recebeu uma revelação de Deus instruindo-o a “Voltar seu rosto na direção da Masjid al Haram".

“ E, deste modo, (ó muçulmanos), constituímos-vos em uma nação de centro, para que sejais, testemunhas da humanidade, assim como o Mensageiro e será para vós. Nós não estabelecemos a quibla que tu (ó Muhammad) seguis, senão para distinguir aqueles que seguem o Mensageiro, daqueles que desertam,  ainda que tal mudança seja penosa, salvo para os que Deus orienta.  E Deus jamais anularia vossa obra (as orações feitas voltadas para Jerusalém),  porque é Compassivo e Misericordiosíssimo para a humanidade.”

“Verdadeiramente!  Vimos-te (ó Mensageiro) orientar o rosto para o céu;  portanto, orientar-te-emos até a quibla que te satisfaça. Orienta teu rosto (ao cumprir a oração) para a Sagrada Mesquita (de Meca)! E vós (crentes), onde quer que vos encontreis, orientai vossos rostos até ela....” (Alcorão 2:143-144)

Mudar a direção da oração estabelece Meca como o ponto central fixado para adoração.  Estabelece um senso ou propósito comum.

Através dos séculos, matemáticos e astrônomos estabeleceram meios corretos para determinar a qibla (direção) de qualquer ponto na superfície da terra.  Existem dois momentos precisos a cada ano quando o sol está diretamente acima da Caaba e, assim, a direção de sombras em qualquer local iluminado aponta na direção oposta da qibla.  Também existem dois momentos do ano quando o sol está diretamente em cima da posição oposta exata da Caaba, apontando assim na direção da qibla.

É importante os muçulmanos fazerem todo o esforço para se voltarem na direção correta ao orar; entretanto, pequenos desvios não invalidam a oração de uma pessoa.  O profeta Muhammad disse: “O que está entre o oriente e o ocidente é qibla.”[1] Hoje em dia é fácil localizar a qiblaÉ uma questão simples de olhar em um mapa e traçar uma linha entre sua localização e a cidade de Meca.  Bússolas e programas de computador que localizam a qibla estão disponíveis e a maioria das mesquitas do mundo tem um nicho na parede para indicar a qibla.

O Islã é uma religião de unidade.  Os muçulmanos estão unidos pela sua crença no Deus Único.  São uma irmandade unida na língua e ritual de oração e unida pela direção de sua oração.  A qibla não se trata de graus de latitude ou longitude, mas de unidade.  Trata da humanidade unida na adoração do Deus Único, Criador e Sustentador do universo.



Footnotes:

[1] At Tirmidhi, classificado como hasan (bom) pelo Sheikh al Albanee.

leia o artigo original em: http://www.islamreligion.com/pt/articles/3203/

Navegação de Artigos:
<< Artigo Anterior || Próximo Artigo >>

Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML

Centro Islâmico de Taubaté © 2009-2018, todos os direitos reservados.
Rua Benedito Silveira Moraes, 221, Bairro Jardim do Sol - Taubaté - SP. CEP: 12070-290. Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940.
E-mail:
siteluzdoislam@gmail.com

2,887,531 visitas únicas

site desenvolvido por www.wsdbrasil.com.br

Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2018 by Nick Jones. Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3