Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940
Email: siteluzdoislam@gmail.com

Hierarquia dos Artigos
Início dos Artigos » A Crença do Muçulmano » Ritos funerários no Islã (parte 2 de 3)
Tamanho da Fonte
Ritos funerários no Islã (parte 2 de 3)
Descrição: O que deve ser feito imediatamente após a morte e por quem?
Por Aisha Stacey (© 2014 IslamReligion.com)
Publicado em 15 Dec 2014 - Última modificação em 15 Dec 2014
Visualizado: 203 (média diária: 27) - Classificação: nenhum ainda - Classificado por: 0
Impresso: 0 - Enviado por email: 0 - Comentado em: 0

Categoria: Artigos > Crenças do Islã > Os Seis Pilares da Fé e Outras Crenças Islâmicas

Na parte 1 aprendemos que a religião do Islã respeita os direitos do morto e dos que estão morrendo.  A morte não deve ser uma estranha para nós e os muçulmanos são encorajados a lembrar da morte mesmo no meio da vida. A morte está sempre presente, uma parte da vida de todas as pessoas, e os procedimentos simples estabelecidos pelo Islã asseguram que os que estão morrendo e o morto sejam tratados com o máximo respeito e gentileza.

Imediatamente depois da morte

Imediatamente depois da morte os presentes devem fechar gentilmente os olhos do morto e dizer a súplica simples para os afligidos por uma calamidade.  A Deus pertencemos e para Ele é o nosso retorno.[1] Se o morto não tiver pago suas dívidas antes de morrer, agora é hora de pagar as dívidas usando seus bens ou os bens da família, parentes ou amigos.  Esse é um assunto importante.  O Profeta Muhammad, que Deus o exalte, encorajava os crentes a pagar as dívidas dos mortos.  Como mencionado na parte 1, a alma de um crente permanece em suspenso até que todos os seus débitos sejam pagos.

Todo o corpo do morto deve ser coberto, exceto daquele que morre em estado de Ihraam - ou seja, durante a peregrinação (Hajj ou Umrah), em cujo caso a cabeça e rosto não devem ser cobertos.  É permissível beijar o morto.  Sabemos que quando o profeta Muhammad morreu, seu melhor amigo se curvou e o beijou na testa entre os olhos dizendo: "Ó meu profeta, Ó meu melhor amigo."

Ao ouvir a notícia da morte de uma pessoa um crente deve tentar se manter firme e paciente.  A tristeza pela perda de um ente querido, amigo ou parente é normal e é permitido chorar pelo morto.  Entretanto, não é permitido gritar, lamentar, bater no peito e puxar os cabelos ou roupas.

Por fim, imediatamente após a morte os presentes devem se apressar para preparar o corpo para a lavagem, ser envolto em uma manta e sepultado.  O Islã estabeleceu instruções rígidas e abrangentes para esses procedimentos e hoje em dia são geralmente feitos por muçulmanos qualificados na seção mortuária de um centro islâmico, mesquita ou mortuário público.  Preparar o morto para o sepultamento é a responsabilidade da comunidade muçulmana.  O corpo é manuseado com respeito, muito cuidado e gentileza.  A lavagem e preparação para o sepultamento são geralmente realizadas por pessoas do mesmo gênero do morto.

A oração fúnebre

Uma oração deve ser feita para cada muçulmano morto, jovem ou idoso, e até para bebês que morreram antes do nascimento.  É permitido que as mulheres participem da oração fúnebre da mesma forma que é permitido que realizem outras orações não obrigatórias.  Para manter no mínimo o tempo entre a morte e o sepultamento, eles devem ocorrer na mesma cidade ou área na qual a pessoa morreu.  Não é necessário que o corpo seja trasladado para outro país.

A oração fúnebre deve ser realizada em congregação. É um ato recompensador e os crentes não devem hesitar em participar de qualquer oração fúnebre, mesmo as daquelas pessoas que não conhecem.  O profeta Muhammad encorajava dizendo que quem participasse da oração fúnebre até seu término receberia recompensas tão grandes como uma grande montanha[2].    O número de participantes na oração fúnebre também acarreta grande recompensa para o morto.  O profeta Muhammad disse que se um muçulmano morrer e quarenta muçulmanos devotos orarem por ele na oração fúnebre, Deus aceitará as orações dessas pessoas.[3]

Depois da oração fúnebre o morto deve ser levado ao cemitério islâmico ou a seção islâmica do cemitério local.  Carregar um caixão e acompanhá-lo até o sepultamento é um ato recomendado e recompensável.

O Sepultamento

O Islã tem um estilo único de construir túmulos e cemitérios que se caracteriza pela simplicidade e humildade.  Todos os muçulmanos, ricos, pobres, rei ou plebeu são enterrados seguindo o mesmo procedimento.   Não é permitido sepultar o morto no caixão, a menos que exista alguma exigência a ser seguida em uma área ou país em particular.

O sepultamento deve ser feito o mais rápido possível após a morte, entretanto, existem horários específicos em que é proibido enterrar o morto.  São do início do nascer do sol até que o sol tenha nascido, quando o sol está no seu pico e do momento em que o sol começa a se por até que tenha se posto totalmente.  Depois do sepultamento é permitido que os crentes fiquem no cemitério fazendo súplicas, já que esse é o momento em que o falecido está sendo questionado pelos anjos.

Na parte 3 discutiremos o que acontece depois do sepultamento, particularmente o período de luto e condolências.  Também analisaremos brevemente os ritos e práticas funerárias de outras religiões e as compararemos com os métodos e procedimentos islâmicos simples, mas belos.



Notas de rodapé:

[1] Saheeh Muslim

[2]Saheeh Al-Bukhari, Saheeh Muslim

Navegação de Artigos:
<< Artigo Anterior || Próximo Artigo >>

Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML

Centro Islâmico de Taubaté © 2009-2018, todos os direitos reservados.
Rua Benedito Silveira Moraes, 221, Bairro Jardim do Sol - Taubaté - SP. CEP: 12070-290. Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940.
E-mail:
siteluzdoislam@gmail.com

2,883,372 visitas únicas

site desenvolvido por www.wsdbrasil.com.br

Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2018 by Nick Jones. Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3