Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940
Email: siteluzdoislam@gmail.com

Hierarquia dos Artigos
Início dos Artigos » Adoração e Prática » A etiqueta da alimentação (parte 1 de 2)
Tamanho da Fonte
A etiqueta da alimentação (parte 1 de 2)

"E não criei a Humanidade e os Jinns exceto para Me adorarem." (Alcorão 51:56)

A religião do Islã é uma forma holística de vida.  Não está separada em áreas física, emocional e espiritual. Ao contrário, ensina que todos os aspectos da vida se combinam para cumprir um propósito.  Qual é esse propósito e é possível compreender o significado da vida?  Sim, é!  O Islã deixa muito claro que o propósito da vida é adorar nosso Criador, nosso Único e Verdadeiro Deus.  O que dá sentido à nossa existência é compreender que todas as nossas ações, não importa o quão grandiosas ou triviais, podem facilmente ser transformadas em adoração.  Todas as ações realizadas durante o curso diário da vida podem ser elevadas ao status de adoração simplesmente lembrando-se de louvar a Deus e buscando Seu agrado.

O Islã facilita a evocação ao nos dar diretrizes.  Ensina de maneira gentil e moderada que a vida é adoração e que a adoração é o sentido da vida.  Com esse fim, até se alimentar tem uma etiqueta que eleva seu status do mundano para a adoração.  O alimento desempenha um papel significativo em nossas vidas cotidianas.  Gastamos muito tempo, esforço e dinheiro para comprar, cozinhar e comer e faz sentido transformarmos esses atos mundanos em adoração merecedora de recompensa.  Os ditos do profeta Muhammad estão cheios de diretrizes e recomendações que tornam o comer uma ação digna de recompensas.

A limpeza é uma parte importante do Islã.  Não apenas um muçulmano deve se purificar antes de se voltar para Deus em oração, mas também deve prestar atenção à limpeza de seu corpo e do que o cerca em todos os momentos.  O profeta Muhammad, que a misericórdia e bênçãos de Deus estejam sobre ele, nos lembrava de que nosso corpo tem certos direitos e um desses direitos é que deve ser mantido limpo.  Nossos corpos são uma responsabilidade dada por Deus e viver em sujeira provoca doenças e má saúde.  Portanto, antes de preparar o alimento é importante ter certeza de que o alimento, a área de preparação do alimento e as mãos que tocarão o alimento estão limpos.

Os muçulmanos começam cada tarefa ou ação mencionando o nome de Deus e comer não é exceção.  O profeta Muhammad, que a misericórdia e bênçãos de Deus estejam sobre ele, disse:

"Quando algum de vocês come deve mencionar o nome de Deus. Se esquecer de mencionar o nome de Deus no início, deve dizer: "Começo com o nome de Deus no início e no fim (ou seja, dessa refeição).""[1]

É importante lembrar que o Islã é um estilo de vida moderado e não devemos nem exagerar e nem nos privar dos alimentos deliciosos que Deus nos proveu.  As diretrizes islâmicas em relação à alimentação nos são ensinadas predominantemente nos ditos do profeta Muhammad.

Comer com a mão direita é um desses ditos e é obrigatório para o muçulmano, a menos que exista uma justificativa como doença ou ferimento.  A mão esquerda geralmente é usada para limpar o corpo de sujeira e impurezas, enquanto que a mão direita é usada para comer, passar objetos de uma pessoa para outra e para apertar as mãos.  O profeta Muhammad também alertou seus companheiros que Satanás come com a mão esquerda e que os crentes devem se desassociar de qualquer coisa que se pareça com Satanás.[2]

Um dos companheiros do profeta Muhammad, Omar ibn Abi Salamah, também relatou uma história sobre a etiqueta da alimentação.  Disse:

"Quando era um menino aos cuidados do mensageiro de Deus, minha mão costumava vagar por todo o prato (de comida).  O mensageiro de Deus me disse: "Ó menino, diga Bismillah (começo com o nome de Deus), coma com sua mão direita e daquilo que está diretamente na sua frente"."[3]

Em situações em que todos comem ou se servem de pratos comuns, pegar a comida que está diretamente na sua frente é considerado boas maneiras.  Passar por cima de outros ou procurar pelos pedaços mais deliciosos de comida pode deixar os outros desconfortáveis ou fazê-lo parecer ingrato ou ganancioso.  Parte da etiqueta da alimentação inclui comer com moderação e não exagerar, não importa o quanto a comida esteja apetitosa.

O profeta Muhammad nos lembrava de que manter o corpo leve e saudável é melhor que estar acima do peso, preguiçoso e inativo.  Disse:

"Um homem não enche nenhum recipiente pior que seu estômago. É suficiente para o filho de Adão comer o que lhe basta para mantê-lo vivo. Mas se tiver que fazer mais que isso, então um terço para o alimento, um terço para a bebida e um terço para o ar."[4]

Existem muitas diretrizes pertencentes à etiqueta da alimentação.  Por mais inconsequente que cada ação possa parecer, tratar os outros com respeito e pensar sobre como nossas ações agradarão ou desagradarão a Deus transforma o comer em adoração.  É das maneiras do profeta Muhammad mostrar respeito pelos convidados oferecendo a eles a melhor comida no momento certo.  O convidado deve responder se apressando para provar e elogiar a comida, orando pelo anfitrião e pedindo bênçãos para ele.  O companheiro do profeta Muhammad, Anas, disse que uma vez Sa’d ibn Ubada trouxe um pouco de pão e óleo para o profeta, que respondeu dizendo:

"Que os jejuadores quebrem o jejum com você, que os virtuosos comam do seu alimento e que os anjos enviem bênçãos sobre você."[5]

Apesar de ser parte das boas maneiras enviar bênçãos para o anfitrião, o profeta Muhammad deixou claro aos seus seguidores que o alimento provido por Deus está cheio de Suas bênçãos.  Ele nos ensinou a sermos agradecidos e gratos.  O profeta Muhammad nos aconselhou a pegar, tirar a poeira e comer quaisquer pedaços de comida que caiam no chão, para estarmos certos de não perder quaisquer das bênçãos ou deixar o alimento para Satanás.[6]

Finalmente a etiqueta da alimentação inclui comer com um grupo ao invés de sozinho compartilhando as graças que Deus nos provê, comer com três dedos, lamber os restos de comida dos dedos, não se reclinar e evitar cuspir ou assuar o nariz enquanto comemos. Também é parte das boas maneiras islâmicas elogiar o alimento.  É errado criticar a comida. É melhor evitar comer qualquer coisa da qual não goste.

Prestar atenção à etiqueta da alimentação permite aos crentes angariar bênçãos e recompensas com facilidade.  Deus nos proveu alimentos deliciosos de todos os tipos, carnes, grãos, frutas e legumes e disse:

"...comei e bebei; porém, não vos excedais, porque Ele não aprecia os perdulários." (Alcorão 7:31)



Notas de rodapé:

[1] Ahmad, At-Tirmidhi, Abu Dawood, & Ibn Majah

[2] Saheeh Muslim

[3] Saheeh Al-Bukhari, Saheeh Muslim.

[4] Ibn Majah

[5] Abu Dawood

Navegação de Artigos:
<< Artigo Anterior || Próximo Artigo >>

Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML

Centro Islâmico de Taubaté © 2009-2018, todos os direitos reservados.
Rua Benedito Silveira Moraes, 221, Bairro Jardim do Sol - Taubaté - SP. CEP: 12070-290. Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940.
E-mail:
siteluzdoislam@gmail.com

2,887,627 visitas únicas

site desenvolvido por www.wsdbrasil.com.br

Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2018 by Nick Jones. Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3