Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940
Email: siteluzdoislam@gmail.com

Hierarquia dos Artigos
Início dos Artigos » A Crença do Muçulmano » Monoteísmo islâmico
Tamanho da Fonte
Monoteísmo islâmico
Descrição: Uma explicação do conceito islâmico de monoteísmo, que engloba crença na singularidade de Deus em Seu Senhorio, direito de ser adorado e em Seus nomes e atributos.

IslamicMonotheism.jpgO monoteísmo é a mensagem que todos os profetas trouxeram.  As pessoas então se desviaram da verdade.  O Profeta Muhammad, que Deus o exalte, veio como o mensageiro final e restaurou o monoteísmo verdadeiro para a humanidade.  Abaixo está uma explicação detalhada de monoteísmo no Islã.

Monoteísmo no Islã

O conceito de monoteísmo (conhecido como tawhid em árabe) é o conceito mais importante no Islã.  Tudo no Islã se baseia nele.  O Islã chama para a unicidade absoluta de Deus.  Nenhum ato de adoração ou devoção tem qualquer significado ou valor se esse conceito estiver comprometido de alguma forma.

O monoteísmo pode ser visto a partir dos três seguintes ângulos:

1. A unicidade de Deus em Seu Senhorio

2. Devoção de toda adoração somente para Deus

3. A unicidade de Deus em Seus nomes e atributos

Esses três ângulos podem ser elaborados da seguinte forma:

A unicidade de Deus em Seu Senhorio

A unicidade de Deus em Seu Senhorio significa que Deus tem domínio completo sobre o universo de todas as maneiras.  Apenas Ele é o Criador de todas as coisas.  Apenas Ele faz com que tudo aconteça.  Ele é Todo-Poderoso.  Ninguém compartilha em Seu domínio.  Ninguém pode resistir ao decreto Dele.

A maioria das pessoas na terra concordaria com esse conceito.  A maioria reconhece que o Criador do universo é Único e não tem parceiro.

Devoção de toda adoração somente para Deus

Ninguém tem o direito de ser adorado exceto Deus (Allah).  Esse conceito é a ideia central que foi proclamada por todos os profetas em todas as épocas.  É a crença mais importante no Islã.  O propósito do Islã é afastar as pessoas da adoração da criação e chamá-las para adorar o Criador.

É aqui que o Islã difere muito da maioria das outras religiões.  Embora a maioria das religiões ensinem que existe um Ser Supremo que criou tudo que existe, raramente estão livres de alguma forma de politeísmo em relação à adoração.  Essas religiões chamam seus adeptos para adorar outros seres como deuses ao lado de Deus (Allah) - embora geralmente coloquem esses outros deuses em um nível mais baixo do que o Ser Supremo - ou exigem que seus adeptos invoquem outros seres como intercessores entre eles e Deus.

Todos os profetas e mensageiros, de Adão a Muhammad (que Deus louve todos eles), conclamaram as pessoas para adorarem somente a Deus.  Essa é a fé mais pura, simples e natural.  O Islã rejeita a noção dos antropólogos culturais de que a religião primitiva dos seres humanos era o politeísmo e que a ideia de monoteísmo evoluiu lentamente a partir disso.

A verdade é que a religião natural da humanidade é adorar somente a Deus.  As pessoas posteriormente corromperam essa religião, introduzindo a adoração a outros seres.  As pessoas parecem ter uma tendência a quererem focar suas devoções em algo tangível, algo imaginável, mesmo que tenham um conhecimento instintivo de que o Criador do universo está muito distante de suas imaginações.  Ao longo da história humana Deus enviou profetas e mensageiros para chamar as pessoas de volta para adorarem o Deus verdadeiro e único e, repetidamente, as pessoas retornaram para a adoração de seres criados.

Deus criou os seres humanos para adorarem somente a Ele.  O maior pecado possível é adorar qualquer outro além de Deus (Allah).  Não é menos pecaminoso se o devoto pretende se aproximar de Deus oferecendo devoções a outro ser.  Deus não precisa de intercessores ou intermediários.  Ele ouve todas as nossas orações e tem conhecimento completo de tudo que acontece.

Ao mesmo tempo, Deus não precisa de nossa adoração.  Ele é completamente independente de todas as coisas.  Se todas as pessoas no mundo se reunissem para adorar somente a Deus, não beneficiariam Deus em nada.  Não acrescentariam o peso de um átomo ao Seu domínio.  Em contrapartida, se toda a criação abandonasse a adoração de Deus, não diminuiria em nada Seu domínio.  Ao adorar a Deus beneficiamos nossas próprias almas e cumprimos o propósito para o qual fomos criados.  Não satisfazemos qualquer necessidade de Deus.  Ele não tem necessidades.

A unicidade de Deus em Seus nomes e atributos

A unicidade de Deus (Allah) em Seus nomes e atributos implica que Deus não compartilha nos atributos de seres criados, nem eles compartilham em quaisquer atributos dos Dele.  Deus é único em todos os aspectos.  Os muçulmanos acreditam em todos os atributos que Deus afirma para Si mesmo e que Seu profeta atribui a Ele, com o entendimento de que esses atributos não são os mesmos de coisas criadas.  Da mesma forma, negamos qualquer nome ou atributo para Deus que Ele e Seu mensageiro negam.

Os atributos de Deus são todos atributos de perfeição e completude.  As deficiências humanas não podem ser atribuídas a Deus.  Deus não tem nenhuma deficiência ou fraqueza.

É uma forma de politeísmo imputar a Deus atributos de coisas criadas.  Também é uma forma de politeísmo imputar a coisas criadas atributos que pertencem somente a Deus.  Qualquer um que acredite que outro ser é, por exemplo, Onisciente e Todo-Poderoso cometeu o pecado de politeísmo, que é o maior de todos os pecados no Islã. 

http://www.islamreligion.com/pt/articles/10334/monoteismo-islamico/

Navegação de Artigos:
<< Artigo Anterior || Próximo Artigo >>

Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML

Centro Islâmico de Taubaté © 2009-2018, todos os direitos reservados.
Rua Benedito Silveira Moraes, 221, Bairro Jardim do Sol - Taubaté - SP. CEP: 12070-290. Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940.
E-mail:
siteluzdoislam@gmail.com

2,884,657 visitas únicas

site desenvolvido por www.wsdbrasil.com.br

Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2018 by Nick Jones. Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3