Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940
Email: siteluzdoislam@gmail.com

Hierarquia dos Artigos
Início dos Artigos » O Caráter do Muçulmano » As Boas Maneiras na Visita
Tamanho da Fonte
As Boas Maneiras na Visita
Em Nome de Allah, O Clemente, O Misericordioso



O Profeta (r) relatou aos seus companheiros que um homem foi viajar para visitar um irmão em outra localidade. Allah, Ta’ála, lhe enviou um anjo enquanto estava a caminho. O anjo perguntou-lhe: “Onde você está indo?” Respondeu: “Estou indo visitar um irmão naquela aldeia.” O anjo perguntou novamente: “Você tem algum interesse em visitá-lo?” Respondeu: “Não, a não ser que o ame por Allah, exaltado seja.” O anjo disse: “Sou o mensageiro de Allah para você para lhe dizer que Allah o ama como você ama por Ele.” (Musslim).
A visita do muçulmano ao irmão é uma das obrigações que devemos cumprir, principalmente nas oportunidades de alegria e de tristeza. A respeito disso, o Profeta (r) disse: “O bom exemplo que os crentes demonstram, com relação ao seu carinho, sua misericórdia e amabilidade recíprocas, é como se fosse proveniente de um só corpo; quando um membro se encontra indisposto, todo o resto do corpo mostra sua debilidade e febre.” (Mutaffac alaih).
Cada oportunidade de visita tem as suas maneiras que o muçulmano de seguir:
Visita de felicitações: Allah, (سبحانه) aceitou o arrependimento de nobre companheiro Caab Ibn Málik e seus amigos, Hilal Ibn Umaiya e Marára Ibn Al Rabi’ que se negaram sair com os muçulmanos para combater os bizantinos na batalha de Tabuk, sem desculpa aceita. O Alcorão revelou o arrependimento deles. Um homem apressou-se em avisar Caab. Ele o chamou: “Ó Caab, boas novas para você.”
Caab saiu apressado, dirigiu-se para a mesquita onde estava o Rassulullah (r). Tal-há Ibn Ubaidullah (t) levantou-se depressa e foi cumprimentá-lo e felicitá-lo pelo perdão de Allah. Quando Caaba chegou até o Rassulullah (r), ele o felicitou e lhe deu a notícia da seguinte forma: “Recebe a boa notícia do melhor dia da sua vida, desde o seu nascimento.” (Bukhári).
O muçulmano cumprimenta o irmão quando lhe acontece algo de bom como casar, pelo nascimento de filho, ser bem sucedido, obter lucros, ganhar algo, escapar de um mal, o retorno de algum familiar ausente, etc. No visita para felicitá-lo deve seguir as seguintes boas maneiras:
Mostrar alegria e felicidade: Mesmo que a oportunidade seja algo triste, deve mostrar um pouco de auspício e alegria em solidariedade ao irmão.
O aperto das mãos e abraços: O Rassulullah (r) disse: “Apertem as mãos que o mau sentimento desaparece.” (Málik).
Levar um presente, se puder: Isso é mais propício para demonstrar os sentimentos de amor e de alegria. O Rassulullah (r) disse: “Troquem presentes que criará amor entre vocês.” (Málik). Ele também disse: “Troquem presentes, pois isso afasta o rancor dos corações.”
Citar as expressões de felicitações: Se for pelo nascimento de um filho, deve dizer a Ele: “Que Allah o torne uma semente de benevolência.” Ou lhe diga: “Que Allah abençoe o recém-nascido e O agradecemos pelo que concedeu. Que tenha vida longa e seja piedoso.”
Se a felicitação for por casamento, diz: “Que Allah o abençoe e a abençoe e vivam felizes juntos.” (Tirmizi).
Se a felicitação for por vestir uma roupa nova: Diz: “Que desfrute dela até ficar velha. Que Allah o conserve. Use o novo, viva com dignidade e morra como mártir.”
Se a felicitação for por causa de festividades, diz: “Que Allah aceite de nós e de vocês.”
A visita de condolências e aflições: Jaafar Ibn Abi Tálib (t) caiu mártir e quando o Profeta (r) soube, foi até a casa de Jaafar. Ele reuniu os filhos menores de Jaafar e os beijou. Assmá, esposa de Jaafar, perguntou-lhe: “Ó Rassulullah, tem alguma notícia de Jaafar?” Ele respondeu: “Sim, ele foi morto hoje.” Ela começou a chorar. O Rassulullah (r) começou consolá-la. Ele voltou para a casa dele e disse: “Preparem comida para os familiares de Jaafar, porque eles estão ocupados com os seus problemas.” (Tirmizi).
As condolências amainam a dor do acontecimento, acalmando a dor e o receio, apaziguam a tristeza e a desgraça. O Rassulullah (r) disse: Quem prestar condolências a alguém, terá um recompensa igual a dele.” (Tirmizi e Ibn Mája).
O Rassulullah (r) disse um dia aos seus companheiros: “Vocês não contam os que estéreis entre vocês?” Perguntaram: “Aqueles que não tiveram filhos?” Disse: “Esse não é estéril, mas o homem que não perdeu nenhum filho.” (Musslim).
O Rassulullah (S) disse: “O muçulmano que perde três de seus filhos antes de eles atingirem a puberdade, serão sua proteção contra o Inferno.” Abu Zar (t) perguntou: “E se forem dois filhos?” Ele disse: “Mesmo se forem dois.” Abu Ibn Caab, o senhor dos recitadores, perguntou: “E se for um só?” Respondeu: “Mesmo que seja um.” (Ibn Mája).
As condolências e as tristezas têm boas maneiras que o muçulmano deve seguir:
O apressar-se: Quando o muçulmano fica sabendo do falecimento de algum parente, ou vizinho, ou amigo, ele tem obrigação de visitar os familiares do falecido para prestar-lhes condolências pela perda, participando com eles da preparação do féretro, seguindo as recomendações do Profeta (r): “Os direitos do muçulmano sobre outro são cinco: Responder à saudação, visitar o doente, seguir o féretro. Atender ao convite e desejar misericórdia de Allah para quem espirra.” (Muttafac alaih).
Não se deve adiar a prestação de condolências por mais de três dias.
Navegação de Artigos:
<< Artigo Anterior || Próximo Artigo >>

Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML

Centro Islâmico de Taubaté © 2009-2017, todos os direitos reservados.
Rua Benedito Silveira Moraes, 221, Bairro Jardim do Sol - Taubaté - SP. CEP: 12070-290. Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940.
E-mail:
siteluzdoislam@gmail.com

2,431,006 visitas únicas

site desenvolvido por www.wsdbrasil.com.br

Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2017 by Nick Jones. Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3